Festival de arte urbana LGBTI+ abre inscrições para participação em showcases

Festival de arte urbana LGBTI+ abre inscrições para participação em showcases

Evento acontece no Dia Internacional contra a Discriminação Racial e as inscrições ficam abertas até 15/02

Entre os dias 21 e 23 de março acontece o Festival Bixanagô – Empoderamento e Estética Negra. O evento, realizado com o apoio do Edital de Apoio à Criação
Artística na Linguagem Música da Secretaria Municipal de Cultura, acontece no espaço cultural Mundo Pensante e contará com shows de Monna Brutal, Danna Lisboa, Rosa Luz, entre outras.

Afrocentrado e direcionado para as criações artísticas da juventude LGBTI+ em São Paulo, o Festival Bixanagô também traz uma série debates, oficinas e lançamento de livros.
Entre os debates estão a criminalização do corpo negro LGBTI+, os direitos da população LGBTI+ e incidência de infecções sexualmente transmíssiveis entre a população negra e periférica.

Segundo Marcelo Morais, idealizador da proposta, “é importante frisar que a gente tá usando ‘bixa’ como uma palavra genérica para todas as expressões de sexualidades. E entedemos que o
Hip Hop é uma forma de organização e de arte que vem da rua, da periferia, da favela e é uma expressão que parte desse lugar fazendo crítica social”, comenta.

Segundo relatório do Grupo Gay da Bahia, entidade que apura dados sobre a comunidade LGBTI+ no país há quase 40 anos, em 2017 foram registrados 445 casos de homicídio contra a população
LGBT+ no Brasil, número 30% maior do que em 2016.  Para Marcelo Morais, as conquistas sociais e jurídicas de toda a comunidade negra e LGBTI+ estão em risco neste novo governo e por isso,
o Festival Bixanagô tem um papel político fundamental neste momento.

Distribuídas entre os dias do evento, as 5 oficinas do festival trazem as linguagens da cultura queer e do Hip Hop, com oficinas de rimas, beats, live painting, vogue e moda. Morais comenta ainda
que “as bixas não entram a toa no movimento Hip Hop, isso vem porque o rap historicamente é um instrumento de luta das populações marginalizadas”. Com um lineup formado majoritariamente
por artistas transsexuais, os shows principais acontecerão nos dias 22 e 23 de março e contarão com a abertura de 4 showcases, selecionados entre as pessoas inscritas entre os dias 15 de janeiro e 15 de fevereiro.

Para se inscrever, é necessário preencher o seguinte formulário: https://goo.gl/mScf8Y. Um dos critérios de seleção é a identidade de gênero, sendo que artistas LGBTI+ serão priorizados.
O resultado sai no dia 01 de março nas redes sociais e por e-mail.

SERVIÇO
O quê: Festival Bixanagô – Empoderamento e Estética Negra
Facebook – https://www.facebook.com/bixanago/
Instagram – https://www.instagram.com/bixanagofestival/
Quando: 21 a 23 de Março
Onde: Mundo Pensante – Rua Treze de Maio, 830 – Bixiga
Inscrições para showcases: Até 15 de fevereiro em https://goo.gl/mScf8Y

Publicado em Sem categoria | Deixar um comentário

Visibilidade Trans 2019 oferece atividades culturais diversificadas em vários pontos de São Paulo

Visibilidade Trans 2019 oferece atividades culturais diversificadas em vários pontos de São Paulo

Uma ampla programação está à disposição da população, em diferentes regiões da cidade: são as atividades alusivas ao Dia da Visibilidade Trans, comemorado dia 29 de janeiro – e incluído desde o ano passado no Calendário de Eventos da Cidade de São Paulo, pelo Decreto 58.227 (que também institucionalizou o programa Transcidadania). A iniciativa faz parte do trabalho da Coordenação de Políticas para LGBTI, da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC), visando consolidar a data, além de dar voz e visibilidade à população trans

A SMDHC, por meio da Coordenação de Políticas para LGBTI, também realizará atividades voltadas para a Visibilidade Trans nos Centros de Cidadania LGBTI. A pasta ainda apoia iniciativas que ampliam a programação até dia 2 de fevereiro e que fazem parte de iniciativas do movimento social de pessoas trans e travestis, como o SP Transvisão – realizado pela SP Escola de Teatro, em parceria com a Associação dos Artistas Amigos da Praça (Adaap), Amapô e CAIS. Neste ano, a SP Transvisão traz o tema “Resistir para existir, nossas vidas importam”, com discussões sobre políticas de igualdade tanto nas esferas sociais como jurídicas, voltadas ao empoderamento e visibilidade trans. As atividades culturais, realizadas também em outros espaços da cidade, contam com debates, exibições de filmes, palestras, shows e ações sociais, tudo com entrada franca.

Para Bruna Svetlic, coordenadora de Políticas para LGBTI, as ações voltadas para a sigla T são essenciais no âmbito das políticas públicas o tempo todo, não só no Mês da Visibilidade Trans – principalmente pelo fato desta população ser sempre marginalizada nos processos de cidadania e também destituída de oportunidades (muitas vezes à disposição apenas de pessoas cisgêneras). “Trabalharmos para modificar esta realidade, ainda que a pequenos passos, é um de nossos objetivos”, afirma Svetlic.

Veja a programação completa por região:

– REGIÃO CENTRAL

29/01 – Apresentações no Coreto

Local: Coreto da Praça da República

Horário: 15h

Apresentação: Brunna Valin, Maite Schneider e Millena Wanzeller

Presenças confirmadas:

Defensoria Pública – Atendimento e orientação

CRT (Centro de Referência e Treinamento)– Divulgação de material e orientação

Unidade Móvel de Cidadania LGBTI Central

30/01 – Trans Café

Local: Centro de Cidadania LGBTI – Luiz Carlos Ruas

Rua Visconde de Ouro Preto nº 118 – Consolação

Horário: 14h às 16h

Atividade cultural com show de pessoas trans

01/02 – Apresentações artísticas

Local: SP Escola de Teatro
Praça Roosevelt, 210, Consolação

Horário: 18h

Lançamentos de exposição e do Concurso “Trans-critos, relatos de vidas”, além de seis shows de artistas trans e a entrega do prêmio Claudia Wonder, destinado a pessoas e entidades cuja atuação está ligada à visibilidade das causas de travestis e transexuais.

02/02 – 4ª Caminhada Pela Paz

Local: Rua Líbero Badaró, 39, Sé

Horário: 13h

Caminhada idealizada pela ONG CAIS, tem como tema “Travestis e transexuais: Nossas vidas importam”, com o objetivo de levantar a discussão sobre enfrentamento às discriminações sofridas pela população de travestis, homens e mulheres trans.

 02/02 – 1º FESTRANS – Festival de Arte e Cultura de Travestis e Transexuais de São Paulo

Local: Largo do Arouche

Horário: 16h30

– REGIÃO NORTE

28/01 – Exibição do filme “Orações para Bob”

Local: Centro de Acolhida Zaki Narchi
Rua Zaki Narchi, 600, Carandiru

Horário: 15h

Exibição de filme seguida de roda de conversa mediada por Brenda Oliver e Rubi Delafuente, com participação de Elisabete Arabage e Flávia Borges da Defensoria Pública do estado de São Paulo e às 17h30, shows produzidos pelas próprias acolhidas do centro.

30/01 – Jantar Trans e roda de conversa “Interseccionalidades e Sororidade”

Local: Casa Florescer
Rua Prates, 1101, Bom Retiro

Horário: 18h

Roda de conversa mediada por Nicole Mahier e Jacque Chanel, seguida do Jantar Trans, organizado pelo Projeto ONG Séforas, finalizando com apresentações das acolhidas da Casa.

– REGIÃO LESTE

28/01 – Empoderamento Trans

Local: Centro de Cidadania LGBTI – Laura Vermont
Av. Nordestina, 496 – São Miguel Paulista

Horário: 13h30 às 16h30

O encontro reúne série de palestras sobre Empregabilidade com Janaina Lima (Graduada em Pedagogia e assessora na Coordenação Municipal de Políticas para LGBTI), Saúde Emocional e Mental com Ailton Gomes (Psicólogo, psicoterapeuta e pós-graduando em Gestalt-terapia. Idealizador e criador da Tons Psicologia LGBT+), Saúde – PREP e IMPREP com Zé Renato (Graduado em Odontologia e agente de prevenção no SAE Fidelis Ribeiro), Vivência no ambiente escolar com Igor Diniz (Graduado em Ciências Biológicas e pós-graduado em Sexologia Humana. Consultor em saúde e educação sexual) e Direito para pessoas trans e travestis com Rafael Calumby (Graduado em Direito e assessor jurídico no Centro de Cidadania LGBTI Laura Vermont).

29/01 – Oficina de DJ

Local: Centro de Cidadania LGBTI – Laura Vermont
Av. Nordestina, 496 – São Miguel Paulista

Horário: 13h às 17h

30/01 – Oficina de MC

Local: Centro de Cidadania LGBTI – Laura Vermont
Av. Nordestina, 496 – São Miguel Paulista

Horário: 13h às 17h

Dia 31/01 – Chá das Divas

Local: Centro de Cidadania LGBTI – Laura Vermont
Av. Nordestina, 496 – São Miguel Paulista

Horário: 14h às 16h

Encontro voltado para confraternização das beneficiárias e beneficiários do Transcidadania.

31/01 – Apresentação do projeto do livro-reportagem “Transmasculinidades”

Local: Centro de Cidadania LGBTI – Laura Vermont
Av. Nordestina, 496 – São Miguel Paulista

Horário: 16h às 18h

Apresentação do trabalho de autoria do jornalista Luiz Fernando Prado Uchoa com participação de Yasmin Pestana e Rafael Faber da Defensoria pública do Estado de São Paulo, falando sobre direitos em geral.

– REGIÃO SUL

29/01 – Força T

Local: Praça da Ponte de Ferro (Parque do Ibirapuera)

Horário: das 10h às 15h

O evento Força T contará com a presença das beneficiarias do Programa Transcidadania, que farão intervenções artísticas e culturais, rodas de conversa e sarau poético.

Publicado em Na Mídia | Deixar um comentário

Lulu Santos é pedido em casamento e se emociona em show no RJ “Eu já aceitei faz tempo,” disse cantor ao chorar no palco

Lulu Santos é pedido em casamento e se emociona em show no RJ

“Eu já aceitei faz tempo,” disse cantor ao chorar no palco

Há algum tempo o influente cantor, compositor e instrumentista Lulu Santos vem compartilhando com o Brasil a felicidade pela qual está passando na vida pessoal.

Muito disso tem a ver com o seu relacionamento ao lado do namorado Clebson, sendo que o músico chegou inclusive a compor uma canção a respeito do momento e de como muitas pessoas fizeram questão de criticá-lo por, apenas e simplesmente, compartilhar amor.

Pois bem, ontem à noite (26) Lulu Santos fez um show na Fundição Progresso, no Rio de Janeiro, e por lá foi surpreendido por Clebson quando ele o pediu em casamento em cima do palco mesmo, sem medo de ser feliz.

A plateia começou a gritar “aceita, aceita, aceita” e Lulu fez uma declaração de amor ao companheiro, dizendo:

Esse é Clebson Teixeira, o companheiro da minha vida. Eu aceito, já aceitei há muito tempo. Eu sei quanto isso foi, não digo difícil, mas o quanto foi importante pra ele, porque eu conheço ele muito bem. E eu quero que vocês saibam que ele é uma grande alma, é o amor da minha vida.

Você pode assistir aos vídeos de Lulu Santos sendo pedido em casamento e ficando emocionado logo abaixo.

Lulu Santos

Em 2018, o músico nascido no Rio de Janeiro em 1953, hoje com 65 anos de idade, lançou inclusive um clipe fofíssimo sobre seu relacionamento para a música “Hoje Em Dia”.

Publicado em Na Mídia | Deixar um comentário

Nany People é mulher trans em ‘O Sétimo Guardião’: ‘Um estranho no ninho, com muita cor e figurino quente’

Nany People é mulher trans em ‘O Sétimo Guardião’: ‘Um estranho no ninho, com muita cor e figurino quente’

Marcos Paulo, o braço direito de Valentina Marsalla vai dar um susto na poderosa ao reaparecer como mulher; veja fotos da atriz caracterizada

Ela é loira, magra, elegante e totalmente segura de si! Estamos falando de Marcos Paulo, claro, personagem de Nany Peopleque, em breve, chegará em Serro Azul para movimentar a pacata cidade de O Sétimo Guardião.

A convite de Valentina Marsalla(Lilia Cabral), o químico, que estava em Paris, volta para o Brasil com a missão de ajudar a poderosa a desenvolver um novo produto de beleza. A empresária só não esperava dar de cara com uma… mulher!

Veja primeiras fotos do personagem de Nany People caracterizado para O Sétimo Guardião! 📸

Em Paris, Marcos Paulo realizou uma cirurgia de mudança de sexo e se transformou completamente. Nany People comenta sobre o alvoroço que a personagem vai causar em Serro Azul:

“Ele se mostra uma mulher avante no tempo, segura de si, uma mulher muito fina e elegante. Quando o Marcos Paulo vem para Serro Azul, que é uma cidade parada no tempo, ele é um sopro de modernidade de tudo que aquele povo ainda não viu. Ele vai ser um estranho no ninho, com muita cor, abuso, produção e um figurino quente”, Nany explica.

Ao Gshow, Nany conta qual foi sua primeira impressão sobre o figurino da personagem, que diz ser bem diferente do que costuma usar:

“Quando me vi caracterizado e com o figurino a primeira vez, eu quase morri de susto, porque é muito acima do que eu já usei. Nunca usei cabelo comprido no meu dia a dia. Ele usa uma cabeleira que é uma juba, de leonina que ela é, então eu estranhei.”

“Estou aprendendo a mexer ainda com as madeixas todas, que ele mexe muito com a madeixa. Ele é intempestivo e não tem medo de ser feliz. Ele fala o que fala, é meio discípulo de Valentina. Doa a quem doer”, revela Nany.

Uma curiosidade: você pode estar se perguntando qual será o novo nome de Marcos Paulo, agora que mudou de sexo. Mas a verdade é que o nome permanece o mesmo, por questões ideológicas do personagem. Nany explica:

“Ele diz que uma rosa é uma rosa, assim como um nome é um nome. Uma rosa não deixa de ser rosa só porque foi despedaçada. Ele acredita na origem da palavra”.

Arrasou, Nany. Chega logo em Serro Azul, Marcos Paulo!

Fonte: GShow

Publicado em Na Mídia | Deixar um comentário

Uniões homoafetivas

Uniões Homoafetivas

As uniões homoafetivas têm batido às portas do Poder Judiciário com os mais diversos problemas inerentes a qualquer família, o que exige dos julgadores que estejam contextualizados dentro da sociedade pós-moderna, respeitando, amparando e buscando o cumprimento da Lei, a fim de resguardar os princípios da igualdade, dignidade da pessoa humana e a promoção da autodeterminação.

Como consequência desse progresso, o Judiciário vem reconhecendo, de forma reiterada, a parceria afetiva entre homossexuais como mais uma variável da denominada: entidade familiar.

Em 2011, ao julgar a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN) nº 4277 e a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) nº 132, os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceram, por unanimidade, a união estável para casais do mesmo sexo, com fundamento primordial no artigo 3º, inciso IV da Constituição Federal, que veda qualquer discriminação em função da preferência sexual.

Importante ressaltar que o STF é o órgão competente para julgar causas onde há ofensa à Constituição Federal, a Lei maior do nosso país. Logo, se o entendimento foi pacificado pelo órgão supremo, não haverá qualquer embasamento para os Tribunais infracontitucionais proferirem julgamento diverso, nos termos do artigo 927, I do atual Código de Processo Civil (Lei nº 13.105/2015).

Nas palavras do ínclito ministro Celso de Mello, “É arbitrário e inaceitável qualquer estatuto que puna, exclua, discrimine ou fomente a intolerância, estimule o desrespeito e a desigualdade e as pessoas em razão de sua orientação sexual.

E, a fim de unificar o entendimento do Judiciário de forma definitiva, após a decisão do STF, o Superior Tribunal de Justiça (STJ), também por maioria de votos, reconheceu a existência de união estável entre casais do mesmo sexo e, a seu turno, com base em leis infraconstitucionais.

Neste prisma, a partir dos importantes julgamentos realizados ainda em meados do ano de 2011, a família deixou de ser sinônima de entidade de reprodução e passou a contemplar um sentido mais amplo, focado no cuidado, na afetividade e na realização pessoal de seus integrantes, o que, a bem da verdade, corresponde à realidade em que vivemos.

O direito, com o escopo de não impor limitações na esfera pessoal dos seres humanos, passou a reconhecer a união entre pessoas do mesmo sexo quando há convivência pública, contínua e estabelecida com o objetivo direto e legítimo de constituição de família.

Outro recente progresso do nosso Judiciário foi a equiparação da união estável ao casamento, através de outra decisão do Supremo Tribunal Federal, proferida em 2017, com o propósito de resguardar aos companheiros conviventes os mesmos direitos reservados ao marido/esposa, independentemente do sexo do casal.

Isso significa dizer que foi reconhecida a equivalência entre a união estável e o casamento tornando os seus efeitos, assim, absolutamente “idênticos”. O que pode ser alterado, seja no casamento ou na união estável, é o regime de bens a ser escolhido pelas partes. Mas como regra geral, em ambos os casos, se não houver manifestação em contrário ou pacto pré-nupcial, o regime geral será o de comunhão parcial de bens, o que significa dizer que todos os bens adquiridos onerosamente durante a constância do casamento ou da união estável se tornarão bem comum, ou seja, de ambos os cônjuges ou companheiros, presumindo-se o esforço de ambos em sua aquisição.

Nesse contexto, mesmo diante das inúmeras discussões político-sociais que existem na nossa sociedade, é importante desmistificarmos o medo do desprestigio ou falta de validade da união estável, especialmente no caso de ter sido reconhecida por Escritura Pública, pois, neste caso, o ato passar a ser revestido de solenidade legal e evita, assim, discussões futuras, tanto na hipótese de “dissolução” da sociedade conjugal, como no caso de falecimento de um dos cônjuges/companheiros.

No mais, é dever esclarecer que não há qualquer necessidade de conversão da união estável em casamento, uma vez que os efeitos serão os mesmos, a não ser que o casamento seja um desejo do casal. Por exemplo, no caso de dissolução da união estável, leia-se, separação do casal, os direitos dos companheiros serão idênticos àqueles conferidos aos cônjuges, provenientes de um casamento civil. Além disso, em caso de falecimento, todos os direitos sucessórios como, por exemplo, a herança são garantidos ao companheiro de forma exatamente igual àqueles conferidos ao marido/esposa.

Noutro giro, atualmente, é permitida a elaboração de diversos tipos de contratos que visam, exatamente, trazer maior segurança às partes independentemente da natureza da relação. Como exemplo simbólico, podemos citar o pouco conhecido “Contrato de Namoro” que, de forma inversa da situação apresentada alhures, vem com o intuito de atestar que ambas as partes são unicamente namorados (as) e, caso essa situação venha a ser alterada, poderá ser constituída a união estável ou celebrado o casamento.

Logo, com base no presente estudo podemos concluir que, embora em passos curtos e lentos, o Judiciário vem se adequando ao novo conceito de família, desatrelando-se do antigo cunho discriminatório e se adaptando às novas realidades e tendências da sociedade.

Assim, muito embora o direito não seja uma ciência que cuida de relações sentimentais, é inquestionável tratar-se de uma ciência humana, que deve respeitar as variáveis de seu tempo e se adequar aos mais diversos tipos de relação, inclusive aquelas providas do citado sentimento.

 

Fernanda Colomba Jardim B.

Advogada

Avenida Adolfo Pinheiro, 1.029, conj. 146

Alto da Boa Vista. São Paulo/SP

CEP 04733-100

(11) 98057-2236

www.bastosecolomba.adv.br

Publicado em Na Mídia | Deixar um comentário

‘Eu era um menino gay que cantava muito bem’, diz drag Gloria Groove

‘Eu era um menino gay que cantava muito bem’, diz drag Gloria Groove

o sofá de Faa Morena, a cantora, de 23 anos, fala sobre a voz que seu trabalho proporciona a toda comunidade LGBTQ+. “Represento uma parcela muito grande da população, pessoas que contam com a minha força e a minha representatividade. (?) Então estou sempre pensando com cautela em uma nova forma de me comunicar, numa linguagem em que eu consiga ter fluidez no discurso, atingindo a todos sem esquecer de representar os meus”, afirma.

Os trabalhos anteriores à carreira profissional na música, como apresentações na Igreja, atuações no teatro e dublagens, segundo Gloria, foram fundamentais para seu amadurecimento profissional e sua atual fase. “Sinto como se tudo o que eu tivesse feito tivesse me preparado exatamente para o que estou fazendo agora. O que demorou para acontecer foi justamente esse momento de entender qual era a minha estrela, porque eu não conseguia ver. Até a chegada de um alter ego, eu era somente um menino gay que cantava muito bem”, compartilha Gloria, pontuando: “Quando eu me entendi enquanto drag queen e entendi que isso não influenciava no garoto que sou e continuo sendo, eu me libertei em muitos aspectos e consegui ter esse vislumbre do que eu podia ser”.

Sucesso na música e com um canal no YouTube que acumula milhões de visualizações, Gloria revela que depois de sua entrada no universo artístico enquanto drag queen, outros aspectos de sua vida passaram a se encaixar. “Não foi à toa que só depois de me ver no espelho como drag quee eu consegui começar a compor, de fato. Consegui me enxergar através de mim e descobrir que ser drag é muito menos sobre me esconder e muito mais sobre mostrar quem sou. Por isso digo que Gloria Groove não é um personagem e sim o meu pseudônimo, o meu nome artístico. É sobre tudo o que acho bonito, legal, incrível e necessário”, finaliza.

‘Ritmo Brasil’ vai ao ar aos sábados, às 19h30, pela RedeTV!. A direção é de Marcos Morales.

Fonte: Gazeta Web

Publicado em Na Mídia | Deixar um comentário

FERNANDA GENTIL REVELA QUE SE CASOU EM SEGREDO COM PRISCILA MONTANDON: ‘SÓ A FAMÍLIA ESTAVA’

FERNANDA GENTIL REVELA QUE SE CASOU EM SEGREDO COM PRISCILA MONTANDON: ‘SÓ A FAMÍLIA ESTAVA’

Fernanda Gentil e Priscila Montandon se casaram em segredo. A notícia foi revelada pela cantora Ivete Sangalo na festa de 25 anos da revista “Caras”, que aconteceu na noite de quinta-feira, no Rio. Durante a apresentação, Vevete acabou soltando que as duas se casaram recentemente ao dedicar uma música para celebrar a união delas.

Logo em seguida, Gentil confirmou o casamento. “A gente oficializou a união, só a família estava presente”, disse ela à revista.

A jornalista ainda contou que que Priscila é muito fã de Ivete e que pediu a cantora para ir à cerimônia dar uma “palinha”. “Mas ela não conseguiu ir por causa das meninas (as filhas gêmeas), mas a homenagem ocorreu aqui”, explicou.

Fernanda Gentil e Priscila assumiram o relacionamento em setembro de 2016, cinco meses após a apresentadora do “Globo esporte” terminar o seu casamento com Matheus Braga, pai do seu filho Gabriel, de apenas 2 anos. Além dele, ela também é mãe de Lucas, de 9 anos.

Publicado em Na Mídia | Deixar um comentário

Nany People ‘chega para causar’ e estreia como múmia em O Sétimo Guardião…

A exuberante Nany People vai aparecer em “O sétimo guardião” como uma múmia por, pelo menos, 15 capítulos. Tudo porque sua personagem, Marcos Paulo, estará se recuperando de uma cirurgia para mudança de sexo. Nas suas primeiras cenas, Nany aparece em Paris enfaixada conversando com Valentina (Lilia Cabral) por telefone. “A câmera passeia no apartamento sob o toque do celular. Mostra os sapatos vermelhos altíssimos, a peruca loura sobre a cabeça de plástico, sobre a mesa cílios postiços e maquiagem…Até chegar em alguém que tem o corpo, inclusive a cabeça e o rosto, todo enfaixado. O celular toca e vibra sem parar, na mesa ali ao lado. A ‘múmia’ estende a mão enfaixada, tateia até conseguir pegar o celular, aperta a tecla para atendê-lo com dificuldade, leva-o ao ouvido e fala com voz ensonada”, descreve o autor Aguinaldo Silva sobre a primeira aparição da drag queen.

Somente na véspera do Natal, Marcos Paulo vai se revelar uma mulher. Marcos Paulo conta a Valentina que não mudou o seu nome. “Assim como uma rosa é uma rosa, um nome é um nome. E o meu sempre será o de batismo, não importa que sexo tenha eu agora”, explica ela, deixando Valentina perplexa.

Publicado em Na Mídia | Deixar um comentário

São Paulo receberá a 2ª Caminhada da AIDS no Dezembro Vermelho

São Paulo receberá a 2ª Caminhada da AIDS no Dezembro Vermelho

No próximo domingo (2) acontece em São Paulo a 2ª Edição da Caminhada da AIDS, que tem como tema “Lute pela Vida, Lute contra a AIDS”. A iniciativa integra o calendário oficial de eventos do município e é uma parceria entre as Secretarias Municipais de Direitos Humanos e Cidadania e Saúde, como parte da programação do Dezembro Vermelho – mês de conscientização dos direitos das pessoas que vivem com o HIV – e também do Festival de Direitos Humanos, promovido durante o mesmo período pela Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania.

A Caminhada da AIDS deste ano é resultado de encontros entre o movimento LGBT e o movimento HIV/AIDS, que apontaram para a necessidade de se unirem a fim de fortalecer as políticas públicas de saúde.

O evento tem como objetivo dar visibilidade para a luta das pessoas com HIV pelo direito ao tratamento. Por meio de sensibilizações e intervenções artísticas a caminhada falará sobre as formas de prevenção ao HIV/AIDS, tratamento e qualidade de vida das pessoas que vivem com HIV.

“O desejo dos participantes da Caminhada da AIDS é o de garantir a dignidade das pessoas, ao mesmo tempo em que alertam para a necessidade da prevenção. Apesar dos avanços da medicina em relação ao tratamento e sobrevida dos soropositivos, ainda não foi encontrada a cura para a AIDS. Os esforços para garantir a melhor qualidade de vida continuam e devem merecer a atenção de todos”, afirma a secretária de Direitos Humanos e Cidadania Berenice Giannella.

Neste ano, em 5 de junho, a Prefeitura de São Paulo ratificou o seu compromisso com a Declaração de Paris, assinada pelo município em 2015. O prefeito Bruno Covas renovou a parceria com a UNAIDS-Brasil e o compromisso com as metas 90-90-90, que prevê a continuidade dos esforços do município dentro da estratégia da Aceleração das Respostas nas Cidades (Fast Track Cities), rumo ao fim da epidemia da AIDS até 2030.

“Essa é uma iniciativa relevante para reforçar a importância da prevenção às doenças sexualmente transmissíveis, bem como para o reconhecimento do direito ao acesso universal ao diagnóstico e tratamento, com metodologias avançadas disponíveis no SUS”, afirma o secretário da Saúde, Edson Aparecido dos Santos.

Os participantes da Caminhada percorrerão as ruas da região central de São Paulo. A produção artística de Heitor Werneck terá ao longo do seu percurso diversas atividades e intervenções artísticas com a temática de HIV/AIDS, sendo um espaço aberto também para a comunidade participar das intervenções.

Temas que serão abordados ao longo da caminhada:

  1. Prevenção contra ao HIV/IST;
  2. Sorofobia (preconceito destinado as pessoas vivendo com HIV/AIDS);
  3. Direito à vida;
  4. Vivendo com HIV/AIDS.

O evento foi inspirado nas AIDS Walks, caminhadas que acontecem nos Estados Unidos e são abraçadas não só pela comunidade LGBT, mas por toda a sociedade. Esta é a segunda edição da Caminhada – em 2017, foi aprovado pela Câmara Municipal um projeto de lei que a inseriu no calendário oficial de eventos de São Paulo.

Como o Dezembro Vermelho é o mês da Conscientização e Combate da AIDS, a ação também busca chamar a atenção para as medidas de prevenção, assistência e promoção dos direitos humanos das pessoas que vivem com o HIV. O mês foi escolhido em função do Dia Mundial contra a AIDS, celebrado em 1º de Dezembro no mundo inteiro.

Serviço

2ª Caminhada da AIDS

02/12 das 14h às 16h30

Concentração na Praça da República

 

Publicado em Na Mídia | Deixar um comentário

Após beijo gay em Malhação, ator declara: “pessoas não gostaram”

Após beijo gay em Malhação, ator declara: “pessoas não gostaram”

Interpretando Santiago Paiva, um garoto dedicado ao esporte, o personagem de Giovanni Dopico era extremamente cobiçado pelas meninas de “Malhação” . Porém, foi ao beijar Michael (Pedro Vinícius) que o personagem ganhou destaque na trama.

Heterossexual na vida real, Giovanni Dopico , junto de Pedro Vinícius, marcou a história de “Malhação”. Com pouco mais de duas décadas de existência, a trama ainda não havia protagonizado um beijo gay entre dois rapazes. À época, a internet foi à loucura.

A grande cena

Sobre a cena que elevou sua carreira a outro patamar, Giovanni demonstra orgulho: “foi uma honra poder fazer parte disso, é muito importante mostrar as diferenças”.

Em relação a repercussão do beijo, o ator comentou: “na internet me parabenizaram pela coragem, profissionalismo, ainda mais por eu ser hétero”. Porém, ele ressalta que “houve pessoas que não gostaram”.

Vivendo de arte no Brasil, ele demonstra resiliência ao não temer represálias: “respeito todas as diferenças, incluindo pensamentos diferentes, e não me apego às críticas, estou fazendo meu trabalho”.

A vida fora de “Malhação”

Como seu personagem, Giovanni projeta grandes planos para seu futuro profissional. Sendo ator, ele alega que há um longo caminho a frente, mas que não pretende desistir: “a maior dificuldade é a falta de oportunidade, o Brasil não possui muito incentivo a artistas”.

Com a nova diretriz da Rede Globo de contratar atores por obra, tudo com intenção de enxugar gastos, Dopico faz mistério sobre seu futuro, mas emana vontade de crescer: “Não posso falar sobre, mas pretendo estudar e me aperfeiçoar”. (continua).

Giovanni Dopico dominando tudo

Solteiro, sem um futuro certo na Rede Globo e desapegado do rótulo de galã, recentemente Giovanni Dopico estampou a capa da Mersch . Animado ele disse “tive muitas mensagens positivas dos fãs sobre a revista. Curti Muito”.

Publicado em Na Mídia | Deixar um comentário