Emocione-se com 4 filmes gays focados em dramas familiares

Apenas Uma Questão de Amor‘ (‘Juste Une Question D’Amour’) é um drama produzido para televisão francesa que causou muito burburinho por lá, quando foi lançado em 2000. No longa, Laurent é um jovem de 23 anos que vive um namoro de fachada com a melhor amiga para evitar que seus homofóbicos pais descubram sua homossexualidade. Se já era difícil manter essa situação, tudo fica ainda mais complicado quando o jovem se apaixona por Cedric, um homem maduro e bem resolvido à procura de alguém com quem possa ter uma relação honesta e verdadeira, longe de segredos e mentiras. A identificação com o drama do protagonista e sua família homofóbica é imediata e você facilmente toma para si o sofrimento do jovem em não ser aceito por todos que ama. Laurent viu seus pais e seus tios expulsarem de casa seu primo gay e deixá-lo morrer sozinho em um hospital e, mesmo com o apoio de Cedric, sente não estar preparado para enfrentar essa situação.  

A mesma sensação de não pertencer àquela família e não ser aceito por ela é vivida por Bobby, protagonista do longa também produzido para TV ‘Orações Para Bobby’.

“Eu não vou ter um filho gay

A frase acima foi a última coisa que Mary (Sigourney Weaver, em uma atuação fantástica) disse ao filho antes de seu suicídio, aos 20 anos, e ‘Orações Para Bobby’ é exatamente como você viu no trailer: intenso, delicado e absolutamente sincero.

Baseado em fatos reais, ‘Orações Para Bobby’ foi indicado ao Emmy e Globo de Ouro em 2010 e não tenho o menor receio em dizer que poucos filmes gays são tão incríveis e emocionantes como esse. O drama de Bobby procurando entender porque é ‘diferente’, enquanto a família tenta ‘consertá-lo’ é de uma sensibilidade tocante. De uma forma comovente, vemos uma mãe que, através da fé e com o coração repleto de remorso e dúvidas, procura uma forma de fazer do superar a perda de Bobby e, principalmente perdoar a si mesma por não ter estado ao lado dele quando mais precisou. Ver a transformação de Mary, antes uma mulher religiosa e homofóbica e hoje alguém lutando arduamente pelos direitos dos homossexuais como uma forma de honrar o nome do filho, faz você terminar de ver ‘Orações Para Bobby’ com uma imensa esperança por um mundo melhor e uma vida sem medo e vergonha.

A próxima dica não é necessariamente um drama gay, mas a história sobre um jovem e sua difícil relação com a mãe. ‘Eu Matei a Minha Mãe’ até expõe a homossexualidade de Hubert, mas é a dificuldade em conviver com a mãe Chantale o grande foco desse filme canadense escrito, dirigido e protagonizado por Xavier Dolan, além de ser baseado em suas próprias experiências.

A impressão que eu tive ao ver o longa de Dolan é que por muito pouco ‘Eu Matei a Minha Mãe’ não cai em um melodrama caricato e se isso não acontece é certamente pelas atuações de Dolan e Anne Dorval (que interpreta com maestria Chantale, a mãe) além de sabermos que toda aquela intensidade vista em cena é a história real do escritor. Vale ressaltar também que se sua relação com a mãe torna-se tão problemática com o passar do tempo, deve-se também ao contraponto direto com a feliz e tranquila casa do namorado Antonin, onde o jovem vive com uma mãe liberal que aceita que o filho leve o namorado, fume maconha e tenha uma liberdade por vezes sufocante, ao ser comparada com o mundo depressivo e escuro onde Hubert vive com Chantale.

Ao falar ‘eu não nasci para ter uma mãe’, Hubert expõe todos os medos, angústias e revoltas de um jovem de 17 anos e esses são os grandes momentos do filme, aqueles em que Hubert desabafa olhando para a câmera com a melancolia e depressão que vemos também em suas grandes explosões com Chantale. Só não deixe-se enganar ao imaginar que o ódio crescente de Hubert pela mãe vem da falta de amor por ela. Claro que o jovem a ama muito, ou não poderia odiá-la tanto, e com tanta vontade.

Um post com três filmes tão intensos e dramáticos pede ao menos uma dica divertida e sendo assim prepra-se para ‘O Primeiro que Disse’!

‘O Primeiro que Disse’ conta a história de Tommaso Cantone (Riccardo Scamarcio), jovem que, após um período estudando em Roma, volta à sua cidade natal no interior da Itália disposto a assumir-se gay para sua família burguesa e tradicional. O que ele não esperava era que seu irmão Antônio se antecipasse e saísse do armário antes dele, sendo expulso de casa pelo patricarca.

Tommaso precisa então assumir os negócios da família e de alguma forma ajudar o irmão, mas as coisas fogem do controle quando seus amigos e namorado resolvem visitá-lo, levando um caos cômico para aquela pequena cidade.

Essa é uma ótima dica se você procura uma divertida comédia de costumes, além de expor de uma forma mais tranquila e natural o grande medo de assumir-se gay em uma família intolerante e conservadora. Ah, não dá para esquecer que em meio a todo o caos da família Cantone, Tommaso ainda fica confuso quando a seus sentimentos pela jovem Alba (e vamos combinar.. pode nunca ter acontecido com você, mas é mais natural do que você imagina, afinal não é uma questão de ser gay ou não.. é uma questão de amor, lembra?)

Dois dos filmes mencionados nesse post podem ser vistos completos no Youtube:

Prayers for Bobby (completo)

Juste Une Question D’Amour (completo)

 

Esta entrada foi publicada em Sem categoria, Sugestões e Dicas e marcada com a tag , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.